03 Junho, 2019 18:05

Merlong Solano assume Secretaria da Administração no dia 10 de junho

O futuro gestor avalia que um dos maiores desafios será a redução do déficit da Previdência.
Paulo Barros
Merlong Solano possui quase vinte anos de experiência como gestor público

O deputado federal Merlong Solano será empossado como secretário de Estado da Administração e Previdência no dia 10 de junho, data definida em reunião realizada em Brasília com o governador Wellington Dias. O atual secretário da pasta, Ricardo Pontes, ocupará o cargo de presidente da Fundação Piauí Previdência.

Com a Reforma Administrativa aprovada em março deste ano, a Secretaria de Estado da Administração e Previdência (Seadprev) passou a concentrar ainda mais responsabilidades, já que todos os processos de licitação devem passar pela secretaria. No entanto, Merlong analisa que uma das maiores preocupações é o déficit da Previdência.

"O déficit previdenciário consumiu R$ 1,2 bilhão do orçamento estadual em 2018. É um gargalo imenso, para o qual precisamos encontrar uma solução, que não depende exclusivamente do Estado. Por isso, estamos buscando diálogo com os demais governadores e com o governo federal", alerta o deputado, que soma experiência como gestor público há quase duas décadas.

“Merlong está comigo desde 2003, me ajudando a governar o Piauí”, ressalta o governador Wellington Dias, de quem partiu o convite para que Solano assuma o comando da Seadprev. Professor efetivo da Universidade Federal do Piauí (UFPI), já foi secretário estadual de Governo em duas gestões, secretário do Planejamento e secretário das Cidades, além de diretor-presidente da Agespisa.

PEC

Em seus últimos dias na Câmara Federal, Merlong Solano colhe assinaturas para apresentar Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que visa garantir aos estados produtores de energia eólica e solar 30% do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre energia elétrica produzida a partir dessas duas fontes.

O parlamentar conseguiu reunir mais de 100 assinaturas a favor da medida e espera ter as 171 necessárias antes de deixar a Câmara. “O Piauí está entre os maiores produtores de energia limpa do Brasil, ocupando o terceiro lugar na produção de energia solar e o quinto lugar na produção de energia eólica. É justo que isso se materialize em mais riqueza, em mais recursos para o povo piauiense”, destaca Merlong.

 

Por Cristal Sá